A secretária municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila, abriu na manhã desta quarta-feira (6/6) a segunda edição do Fórum Curitibano de Educação Ambiental da Rede Municipal e o I Encontro Intermunicipal de Educação Ambiental defendendo uma nova visão de sustentabilidade na educação, focada na autonomia dos cidadãos.

Com a participação de aproximadamente 300 profissionais da rede municipal de ensino de Curitiba e de municípios da região metropolitana, os eventos são realizados até quinta-feira (7/7), na Faculdade São Braz, no Bacacheri.

“Devemos pensar na sustentabilidade a partir da autonomia, de ações iniciadas em nós mesmos e não sobre algo externo, como o lixo, a horta ou algo que esteja além de nós”, disse Maria Sílvia, ao provocar uma reflexão nos participantes.

“Em que medida nós, dentro das nossas casas, de nossos ambientes de trabalho somos sustentáveis? Como nos organizamos em nosso cotidiano para sermos sustentáveis?”, questionou a secretária.

Maria Sílvia ressaltou o fato de Curitiba desenvolver ações notáveis sobre sustentabilidade e preservação, porém, de que também há necessidade de avanços na área e, este progresso depende de ações concretas, diárias e visíveis de cada cidadão.

“São ações que têm efetiva raiz a partir do momento que pensarmos sobre o que fazemos primeiro conosco, com nossas relações, com ações no nosso lugar mais próximo de vida e que se estendem ao nosso trabalho, nossa cidade”, afirmou.

O convite feito pela secretária aos profissionais da Educação foi para que busquem alternativas para “encurtar a distância entre a horta e as ações cotidianas”, assumindo uma consciência qualitativa de autonomia que possibilite dar passos mais distantes nas questões relacionadas à educação ambiental.

Práticas significativas

A realização dos dois eventos foi promovida pela Secretaria Municipal da Educação para fomentar a discussão e fazer a divulgação de práticas significativas sobre temas socioambientais desenvolvidos por professores da Educação em Tempo Integral, da Educação Especial, das Escolas que atendem a Educação Infantil, 1º ao 9º ano, Educação de Jovens e Adultos (EJA), além dos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) e unidades contratadas.

Também participam profissionais da educação de Colombo, São José, Mandirituba, Araucária, Pinhais, Quatro Barras, Quitandinha, Rio Branco do Sul, Campo Magro, Fazenda Rio Grande (cidades da região metropolitana) e da Secretaria Estadual da Educação.

No evento são apresentadas 69 experiências, entre exposições orais e mostra de trabalhos desenvolvidas nas unidades da rede municipal de Curitiba, entre elas o sistema de aquecimento solar para imóveis do Centro Municipal de Educação Infantil São José, no Augusta, e o reaproveitamento de sacolas plásticas transformadas em brinquedos, pelos estudantes da Escola Municipal CEI Érico Veríssimo, no Alto Boqueirão.

Eixo-tema

Para a diretora do departamento de Ensino Fundamental da Secretaria Municipal da Educação, Simone Zampier, a educação ambiental é um eixo-tema de todas as ações da educação municipal.

“As unidades de ensino recebem diariamente cidadãos para aprender, portanto, são espaços privilegiados para trabalhar conceitos e produzir discussões sobre a nossa condição de vida ser o reflexo do ambiente em vivemos”, disse Simone.

A abertura dos eventos também contou com as participações da Superintendente de Gestão Educacional, Elisângela Mantagute, da diretora do Departamento de Educação Infantil, Kelen Patrícia Collarino, do diretor do Departamento de Desenvolvimento Profissional, João Batista dos Reis e do Diretor Geral da Faculdade São Braz, Silvio Akiyoshi.

Deixe uma resposta