Conferências regionais para as mulheres preparam propostas para encontro municipal

conferencia boqueirao conferencia boqueirão2

O Conselho Municipal dos Direitos da Mulher de Curitiba realizou, neste sábado (29), a terceira e última Conferência Regional de Políticas para as Mulheres, no Auditório da Rua da Cidadania do Boqueirão, no Terminal do Carmo. Participaram do evento, as delegadas e os delegados municipais das regionais do Boqueirão, Cajuru e Bairro Novo.

As conferências regionais são preparatórias para a 4ª Conferência Municipal de Políticas para as Mulheres, que será realizada no dia 12 de setembro com o tema “Mais Direitos, Participação e Poder para as Mulheres”.

Nas discussões dessa terceira conferência, as participantes reforçaram as propostas extraídas dos encontros anteriores, realizados nas regionais, Matriz, Boa Vista, Portão, Santa Felicidade, Pinheirinho, CIC e Tatuquara.

A secretária municipal da Mulher e presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, Roseli Isidoro, faz uma avaliação positiva dos resultados das três conferências. “Tivemos a participação efetiva das delegadas e das observadoras que contribuíram de maneira significativa para a elaboração das propostas que vão nortear as próximas conferências, municipal, estadual e a nacional”. Segundo ela, o debate nessas conferências regionais tem procurado incorporar e abranger as dimensões de classe, gênero, etnia, raça, geração, orientação sexual e identidade de gênero, pessoas com deficiência e participação da mulher nos espaços de poder.

Eles por elas

A grande novidade desta última conferência regional é a participação de homens, como delegados. Dionísio Cecílio, 45 anos, empresário do Boqueirão defende a participação de homens na luta pelos direitos da mulher. “Precisamos quebrar o paradigma de que homens estão em condição superior à mulher. Já faz muito tempo que essa realidade mudou. Nós homens temos que lutar ao lado das mulheres, por uma sociedade melhor”, afirma ele.

Enaim Elias, 46 anos, voluntário e conselheiro local de saúde, na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Conjunto Eucaliptus, também está ao lado das mulheres. “Fiz questão de me candidatar a delegado por acreditar que homens e mulheres têm que andar juntos. Como trabalho com a comunidade, muitas vezes a gente se depara com casos de violência doméstica contra a mulher, por exemplo, e não sabemos exatamente como lidar com a situação. Por isso, quero cada vez mais estar ao lado de mulheres que lutam por seus direitos. Quero saber mais”, argumenta.

Ao analisar a presença de delegados homens na conferência, o administrador regional do Boqueirão, Augusto Meyer Neto, afirma que o movimento de mulheres evoluiu muito e, segundo ele, a participação dos homens significa que as mulheres sempre estiveram certas, “mas a maioria dos homens ainda não tinha percebido”. E ele complementa: “em casa tenho quatro mulheres e sei o quanto elas são fortes e, na minha regional, elas representam mais de 50% da equipe”.

Pedro Pelanda, administrador da Regional Bairro Novo, diz que em pleno século 21, não se admite mais falar na mulher como sexo frágil. “Isso já passou faz tempo. Eu vejo isso na representatividade das mulheres da nossa comunidade. Das 14 vagas de delegadas, tivemos mais de vinte candidatas. Uma prova de que elas não querem ficar em casa. Ao contrário, querem ir à luta e por isso estão aqui nesta conferência”, disse.

“Nunca vi a mulher de maneira diferente. Para mim ela sempre esteve no mesmo nível dos homens. Temos mulheres na Marinha, pilotos de avião, dirigentes de grandes corporações e, claro, na Presidência da República. Avançaram muito, mas acredito que elas merecem muito mais”, afirma José Ribeiro, administrador regional do Cajuru.

As conferências regionais e a municipal contaram com quatro eixos de discussão acerca das políticas públicas para as mulheres: 1) Conselhos de direitos da mulher: avanços e desafios; 2) Estruturas institucionais e políticas públicas desenvolvidas para mulheres no âmbito municipal, estadual e federal: avanços e desafios; 3) Sistema nacional de política para as mulheres – subsídios e recomendações e 4) Sistema político com participação das mulheres e igualdade: recomendações.

Participaram da conferência, a vereadora Professora Josete, a secretária dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Mirella Prosdócimo e a presidente do Instituto Municipal de Administração Pública (Imap), Liana Carleial.

Os cantores de Angola, Emília, Jacob, Prudêncio, sob a regência do maestro Wilson Madeira fizeram uma apresentação na abertura da conferência, com canções típicas de seu país.