Maior evento de sustentabilidade urbana do Brasil abre espaço para área social

A presidente da Fundação de Ação Social (FAS), Marcia Oleskovicz Fruet, participou nesta quinta (8), designada pelo Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social (Congemas), do qual é articuladora municipal de metrópoles, do lançamento do IV Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável (IV EMDS), o maior evento sobre sustentabilidade urbana do Brasil. A cerimônia aconteceu durante a 68ª Reunião Geral da Frente Nacional de Prefeitos (FNP). Realizado pela FNP em parceria com o Sebrae, o IV EMDS será realizado em abril de 2017, em Brasília (DF). Em sua terceira edição, reuniu mais de 9 mil participantes.

A expectativa para a próxima edição do EMDS é a promoção de um debate ainda mais forte, com temas atuais e necessários para incentivar o desenvolvimento nas cidades de forma sustentável e permanente. “É a primeira vez que o Congemas irá participar de modo integral e efetivo deste encontro. Uma demonstração da importância do aspecto social quando se fala em desenvolvimento sustentável, sobretudo em um período de crise como a qual estamos passando”, afirma Marcia Fruet.

A intenção é que o formato do evento continue privilegiando a interação com o público, sendo composto por palestras “TED-alikes”, salas temáticas, arenas de diálogo, ponto de encontro e praça de boas práticas. “Nos últimos tempos tem sido reafirmada a importância do tema na pauta dos municípios e a necessidade de maior protagonismo dos representantes das cidades nas discussões e debates mundiais sobre a questão da sustentabilidade. Prova disso, foi a participação de 60 prefeitos reunião com o papa Francisco, no Vaticano, para discutir questões ligadas ao tema”, disse o presidente da FNP e prefeito de Belo Horizonte (MG), Marcio Lacerda.

Após o lançamento, a mobilização para o IV EMDS terá início com a realização de reuniões preparatórias em várias regiões do país. Essas reuniões têm o objetivo de fomentar conteúdo e sugestões de pauta para que a programação atenda às demandas municipais e reflita o cenário das cidades brasileiras.