FAS discute melhorias no atendimento a pessoas com direito violado

Com o objetivo de discutir o atendimento e serviços prestados pelos Centros de Referência Especializados da Assistência Social (Creas), a Fundação de Ação Social (FAS) promove nesta quarta (18) e quinta-feira (19), o I Encontro dos Servidores dos Creas de Curitiba. Na cidade, são nove Centros Especializados, responsáveis pelo atendimento de pessoas e famílias que tiveram algum direito violado e que necessitam dos serviços da proteção social especial, que acompanham os casos e dão encaminhamento para outros serviços quando necessário.

Para a superintendente de planejamento da FAS, Jucimeri Silveira, justamente por lidar com assuntos tão complexos (violência, abuso sexual de crianças e adolescentes, cumprimento de medidas socioeducativas, situação de risco pessoal e social associados ao uso de drogas) verificou-se a necessidade de realizar um momento de troca de experiências. “A ideia é criar um espaço permanente de interlocução entre toda a gestão e quem atua na ponta e vivencia as dificuldades no dia a dia. Isso potencializa os nossos atendimentos e qualifica os nossos serviços, garantindo uma acolhida mais humana a quem passa por um momento de fragilidade”, afirmou.

Um dos avanços mais significativos na atuação das equipes dos Creas foi a adequação dos espaços físicos para o atendimento. Desde 2013, os Centros Especializados, que em sua maioria ocupavam salas nas regionais da cidade, passaram a funcionar em endereços próprios. “Isso garante em primeiro lugar o respeito ao usuário dos serviços, que têm uma acolhida mais humana e individual, com salas reservadas para a escuta qualificada e também melhora o trabalho dos servidores, que conseguem desempenhar suas funções de maneira mais organizada”, ressaltou a diretora de Proteção Social Especial da FAS, Angela Mendonça.

Para embasar os trabalhos do encontro, os servidores participaram na tarde desta quarta-feira de uma palestra com Telma Maranho Gomes, diretora de Proteção Social Especial da Secretaria Nacional da Assistência Social (SNAS), que deu um panorama geral sobre os Creas no país e o papel das equipes nos atendimentos às famílias em situação de risco.

Atualmente são 155 servidores que atuam nos nove Creas de Curitiba, com equipes compostas por educadores sociais, psicólogos, assistentes sociais e pedagogos.

“Ouvimos histórias delicadas todos os dias e ter um momento de encontro como este é importante para reforçar o nosso papel e a nossa atuação na proteção social das famílias de Curitiba”, refletiu a educadora social Rosângela Guarino, do Creas Pinheirinho.